out 022010
 

Blz? Tem alguns meses que contratei um serviço 3G, no caso depois de muita pesquisa pra mim ficou uma ótima relação custo beneficio um Tim Web 3G 300k por R$ 59,90. De fato não é a melhor velocidade, porém  para funcionar como Internet Móvel de Final de semana, no interior do Ceará é razoável 😉 não é o tema deste post, por isso vamos pular os detalhes.

Fato quando adquiri o tal plano, foi oferecido um modem 3G Onda[1], achei o máximo já que o mesmo era desbloqueado, porém como eu não entendia nada do assunto e ainda mais para rodar no Linux, comecei a ter alguns causos complicados, por exemplo: Continue reading »

set 292010
 

Durante o SugarLoafPlop2010[1] houve a palestra do prof. Jerffeson (UECE) falando sobre a iniciativa de criação de um repositório[2] de padrões. Em resumo foi apresentada a proposta do repositório de padrões para catalogação dos padrões  publicados nas conferências do SugarLoafPlop,  onde na verdade o repositório funcionará como um grande indexador de conteúdo para localização dos padrões por meio de diversas opções.

Abaixo podemos ver na integra o vídeo da apresentação do repositório ocorrido no dia 25/09/2010 durante o Sugar Loaf Plop 2010. Continue reading »

dez 092007
 

Blz!

Amigos este poste é para falar de como o Governo gosta de gastar tempo e verba com coisas inúteis no lugar de garantir saúde, educação e emprego para os brasileiros.
Esses dias começou a vincular na TV por assinatura um projeto de Lei que quer modificar o conteúdo dos canais pagos, ou seja, querem que 50% do conteúdo seja nacional…
Se pagamos tv por assinatura é justamente pq não queremos mas ver Gugu e Faustão na TV, gostamos dos nossos seriados internacionais, filmes, esportes radicais, viagens pelo mundo, novas descobertas e etc… Ou seja, não queremos ver a mesmice da TV aberta na TV que é CARA para o nosso bolso, caso isso aconteça começo a me questionar se vale a pena gastar tanto para ver o que já temos na TV aberta.
Se os senhores deputados querem que o conteúdo brasileiro tenha mais qualidade, que seja pelo esforço dos produtores e não por empurrar na goela a baixo dos assinantes.
Vale lembrar que mesmo na TV paga temos ótimos programas e filmes nacionais e que foram parar lá pela sua qualidade e não pq deveria cumprir cota.

http://www.liberdadenatv.com.br

dez 042007
 

Depois de muito tempo resolvi aposentar meu velho monitor de guerra (Samsung 17″ SyncMaster 753 DFX[1]), o qual me acompanha desde 2002, foi adquirido com o suor do meu primeiro ano de trabalho, lá no TSE/DF.
Que por sinal funcionou muito bem ao longo desses anos, onde utilizei sem problemas tanto no MS-Windows e nos diversos Linuxs que utilizei. Porém como no trabalho utilizo um LCD (Itautec) e em casa um CRT(Samsung), começava a sentir uma diferença entre as tecnologias, era simplesmente complicado sair do LCD e vim pro velho CRT(a vista ficava estranha), foi ai então que comecei a ver promoções de final de ano de monitores LCD em diversas lojas aqui em Fortaleza, e acabei sendo convencido de que precisava trocar pra poder trabalhar mais confortavelmente, onde acabei comprando um LCD LG Fantasy 19″ L1900J[2].


Agora vou comentar alguns pontos que aprendi com relação a mudança e coisas que devemos tomar cuidado na hora da troca.

Especificações

A primeira coisa que procure foi me informa sobre as especificações que são recomendações hoje.
Na época dos CRT bastava verificar qual a freqüência dos monitores em dadas resoluções, o meu 753DFX rodava a 85hz numa resolução de 1024×768 com 32bits de cores, porém procurando as especificações acabei observando que o comum nos LCD é suportar uma taxa de refresh entre 60hz a 70hz , porém a grande maioria em um LCD de 19″ aceita para funcionar bem a 60hz uma resolução de no máximo 1280×1024, ou seja, a velha idéia de “quanto maior a taxa de atualização melhor” parece que foi deixada de lado e está dando a vez apenas aos 60hz.
Com o meu CRT, eu nunca me preocupe com mais nada além do refresh e quantidade de cores, mas nos LCD, surgiram preocupações com:
  • Entrada de Vídeo, fiquei sabendo que existem alguns monitores que não possuem mais o plug “D-Sub 15 Pinos”, só os novos plugs DVI, que somente as placas de vídeos mais novas possuem suporte, onde a solução neste caso é comprar cabos adaptadores, mas também existe monitores que por padrão vem com suporte aos dois plugs ou o cabo adaptador(o caso do meu LCD).
  • Contraste, pesquisando na Internet descobri que existiam contrastes desde 500:1 até 5000:1, onde na época do CRT isso não preocupava pois pelo que vi o canhão tem uma profundidade de cor muito boa(ou algo assim), e nos LCD é algo que deve-se tomar cuidado, onde o mínimo aceitável deve ser acima de 3000:1, porém descobri que isso não é fácil de garantir, existem divergências entre as informações no site dos fabricantes e nas caixas do produto, por isso cuidado com valores de contrastes muito baixos, aqui vale a regra do “quanto maior melhor”.
  • Brilho, outra dor de cabeça, descobri que monitores LCD são mais brilhosos que os tradicionais CRT e que isso pode incomodar bastante para quem é desenvolvedor ou usa muito software com grande parte da tela com fundo branco, chega a ser cegante, se possível veja o monitor em uso antes de comprar para evitar problemas.
  • Tempo de Resposta, neste quesito quanto menor o tempo de resposta melhor, novamente na Internet foi mencionado que tempo de respostas maiores que 08ms podem provocar efeitos de fantasmas na tela ou lentidão em algumas aplicações em fullscreen (vídeos e jogos), afim de evitar este problema escolha monitores com o tempo de resposta entre 05ms a 02ms.
  • Formato da Tela, com os novos monitores widescreen comecei a ficar na dúvida entre um tradicional 4:3 ou os novíssimos wide, porém fiquei sabendo que quem gosta de jogar(meu caso) deve fugir dos wide, pois muitos jogos não conseguem executar adequadamente neste formato, tendo desde leves distorções ao não funcionamento, onde então para quem quer jogar no PC deve escolher os tradicionais 4:3, pelo menos até que a indústria adapte-se ao novo perfil de monitor e desenvolva de forma exclusiva ou que seja capaz de adaptar o formato do jogo.

Ajustes

Como citei antes, utilizava o meu velho CRT em ambiente Linux, onde hoje é meu sistema operacional em tempo integral, utilizo o slackware 12.0 para jogar, acessar a internet, programar, enviar meus emails e afins.
Até ai normal, o monitor é um periférico antigo e que todo S.O suporta certo? Correto mas o problema é que alguns fabricantes estão fazendo modificações nas interfaces dos monitores onde agora no lugar de termos o bom e velho conjunto de botões para configurar (brilho, contraste, ajustes vertical/horizontal ) é tudo feito via software, e para completar a LG desenvolveu o software apenas para MS-Windows, ou seja, nós usuários de linux além de comprarmos placas que respeitam o consumidor devemos comprar periféricos “básicos” que nos respeitam, e a LG com essa característica bane os usuários de qualquer outro sistema operacional.
O pior é que as configurações default do monitor eram terríveis simplesmente pensei até em ir na loja trocar ou devolver, pois era impossível de trabalhar, mesmo ajustando no Kcontrol(Painel de Controle do KDE) a situação era triste, as letras pareciam que não tinham o antialiasing habilitado, e tudo era simplesmente a configuração de um recurso, resultado tive que tirar a poeira de uma partição para usar o ms-windows só para colocar a configuração básica do monitor em termos mais agradáveis visualmente e fazer os demais ajustes no linux, pelo menos assim funcionou e hoje consigo usar o monitor, ainda tem pouco tempo (só 5 dias) mas ficou muito melhor, ainda me incomodo um pouco com o brilho (muito mais forte que nos CRT) mas pelo que pude observar é coisa normal.

Conclusão

Ao atualizar seu monitor, lembre-se:

  • É uma nova tecnologia, com características particulares e suas limitações;
  • Possivelmente você irá comprar um com mais polegadas, onde conseqüentemente você irá utilizar com uma resolução de trabalho maior, porém as coisas ficaram menores;
  • Terá diferenças perceptíveis entre o velho e o novo, onde você poderá ter dúvida se foi pra melhor ou pior;
  • Deve ficar de olho na compatibilidade com o Sistema Operacional ou então verificar se possuí controle de ajustes manuais(botões nas laterais);
Depois de ficar ciente dessas fatos, acredito que é só questão de costume e curti o novo brinquedo 😉
LCD LG Fantasy 19″ 1900J (Jarro), em 10x de R$78,00 sem juros 😉
Detalhe no pé tem uma luz vermelha que é o indicador de que está ligado (LED) que pode ser ajustado manualmente, este monitor só tem dois botões Liga/Desliga e Controle do LED de funcionamento permitindo até que seja desligado, agora o resto a LG economizou e colocou na porcaria de um software que só funciona para “UM” sistema operacional.

T+!
Vida Longa e Próspera!

———————————————-

Referência
[1]http://www.samsung.com/br/products/monitor/lastmodels/753dfx.asp?page=Specifications
[2]http://br.lge.com/md/product/prodcategorylist.do?actType=detail&parentCategoryId=0000000401&productId=1100001137

dez 032007
 
O grande momento esperado pelas empresas de eletrônicos chegou.
Foi dada a largada para que o trabalhador comece a gastar seu dinheiro em dispositivos de conversão de sinal (set-top-box) para poder sintonizar a TVDigital, e que fique jogando seu dinheiro fora a cada 12 meses… (?)


Assistindo o lançamento da TVDigital na minha tv analógica com chuvisco, ouvi as promessas de que na TVDigital não teremos mais “fantasmas e nem imagem chuviscadas”, bem acredito que, só assim estarei me incluindo novamente como telespectador da Globo e SBT (aqui no meu quarto só pega nesta tristeza – ver imagens), por isso que acabo usando minha TV para assistir a tv paga (tem horas que nem ela presta) ou filmes/seriados, por isso que as vezes fico boiando sobre as notícias/atualidades onde minhas fontes são a Internet ou os comentários dos amigos.

Veja o Lançamento! TV Digital Brasileira
http://br.youtube.com/watch?v=TdpXwVlpr1U
http://br.youtube.com/watch?v=Y0lnZISf6pA

Heheheh, o fato irônico foi ver essa declaração justamente da forma que não deveria acontecer… digo, que não vai mais acontecer, bem pelo menos de acordo com o calendário lá por volta de 2010 ou 2011 vou poder ser perturbado por um Gugu ou Faustão. (Alegria de pobre dura pouco…)

Outro fato curioso é que o ministro (senão me engano) comentou sobre o “Sistema Operacional GINGA[1]”, que até onde todo mundo sabe, menos ele é apenas um middleware[2], onde até o próprio GINGA é definido por muitos como uma incógnita pois o mesmo é dividido em duas partes o GINGA-J[3] e o GINGA-NCL[4].

Alguns pontos interessantes que pude perceber em conversas com amigos e nas leituras:

  • O Ginga que está na mídia não é o middleware e sim um “módulo”, o ginga-ncl que seria, creio eu, mais voltado para os editores de conteúdo e não para o pessoal de desenvolvimento, porém existem coisas que esse “componente/módulo” ainda não é capaz de fazer, e o pior ele só funciona de fato com o ginga “middleware” e este ainda está em desenvolvimento (bem avançado porém não sei dizer se já está apto para os aparelhos).
  • Os primeiros set-top-box, serão conversores de sinal analógico para digital e pelo que se diz apenas isso, talvez nem seja capaz de mostrar a programação ou a sinopse dos programas (como na tv-digital paga), ou seja, comprar um set-top-box agora é jogar dinheiro fora. Ainda mais se você nem morar em São Paulo.
  • O Ginga e diversos outros trabalhos foram financiados com o seu dinheiro. Coisa normal neh? 😉 Porém o governo teve a melhor das intenções e queria criar software que fossem livres, ou seja, que o trabalho produzido pudesse ser utilizado para o aprimoramento e desenvolvimento tecnológico do país, que fosse LIVRE, inclusive no lançamento em rede nacional falou dos benefícios do Software Livre, porém…. o ginga produzido pela PUC-Rio foi recentemente comprado[5] e será licenciado para que possa ser utilizado nos aparelhos produzidos…
Pergunto, para onde irá o Sistema Brasileiro de Televisão Digital? Será que teremos tecnologia própria, de fato livre para permitir o nosso desenvolvimento tecnológico e do mercado, ou simplesmente mandaremos dinheiro para fora do país devido o excesso de royalties e compra de tecnologias que não somos capazes de produzir e compatibilizar… e viva o PAL-M!
Obs.: Pra quem não entendeu PAL-M, creio que o Brasil foi o único (ou um dos), que utilizou e que quando compravamos equipamentos eletrônicos (filmadoras, videocassestes e etc) tínhamos o velho problema de compatibilidade…

T+!
Vida Longa e Próspera!

———————————————-

Referência
[1]http://www.ginga.org.br/
[2]http://pt.wikipedia.org/wiki/Middleware
[3]http://www.lavid.ufpb.br/projetos/p25.html
[4]http://www.ncl.org.br/
[5]http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=11214&sid=3
[6]http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u331183.shtml
[7]http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=11242&sid=8
[8]http://br.youtube.com/watch?v=TdpXwVlpr1U
[9]http://br.youtube.com/watch?v=Y0lnZISf6pA

jun 192007
 
Finalmente após minha terceira tentativa de entrar em uma especialização consegui :). As duas tentativas anteriores um curso foi “remodelado”, tirando as disciplinas do meu interesse (Computação Gráfica, Robótica, Inteligência Artificial, Jogos..) e a outra a turma foi cancelada. Como dizem “há males que vem pra bem”, acredito que de todos os cursos que procurei desde agosto de 2006, esse da UECE – Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Padrões[1] é a melhor opção, além do fato de ajudar no dia-a-dia no trabalho e com meus interesses de programação.
Agora é estudar, tentar focar os conhecimentos que serão adquiridos no desenvolvimento dos frameworks GBF e GSW(quem sabe esse retorna a vida), e leva-los também para o lado profissional e ir em busca do título. O maior desafio vai ser como escrever a tal da monografia e o qual será o foco dela, já que minha graduação tinha uma outra forma de avaliação, pois o curso era bem focado nas realidades do mercado, sendo o trabalho final uma análise e o desenvolvimento de um sistema para uma empresa real, ou seja com tudo que temos direito: entrevista, levantamento de requisitos, documentação, modelagem relacional(mysql) e programação web(php).

T+!
Vida Longa e Próspera!

———————————————-

Referência
[1] Especialização em Engenharia de Software – http://ees.pgcomp.uece.br