maio 222007
 
Estava conversando com um amigo sobre desenvolvimento de jogos, quando lembrei do bom e velho SpaceShooter, e o quão ficou “abafado” com o lançamento e a oficialização da última versão a 1.4 por causa causa do CDLivre[4] e do evento FLISOL.
Pois bem, aproveito a oportunidade agora para falar um pouco mais da experiência que o SpaceShooter me deu, além da diversão gerada tanto pela programação como pelo jogo em si.

História

Spaceshooter pra quem não conhece, é um divisor de águas para mim, ele inaugurou minha “nova geração” de jogos, agora produzidos com o framework GBF[5]. É um jogo simples e fácil no clássico estilo shoot’up, o qual foi muito venerado na época dos consoles Nes/SNes/Mega, tendo como base a temática de Star Trek.
O jogador tem como objetivo salvar seu planeta da extinção, e para isso deverá destruir a grande ameaça a nave Base Borg (Cubo Borg). Para poder enfrentar este desafio, o jogador contará com 04 naves estrelares, onde cada uma está melhor adaptada para as diversas zonas, além de contar com um arsenal de phaser e de alguns poucos torpedos. Para sua defesa deverá contar com sua habilidade, a velocidade dos motores de warp, além da força de seus escudos.
O jogo possui 07 fases, onde o jogador terá que enfrentar campos de asteróides, naves inimigas de várias raças, minas espaciais, e diversos outros desafios. Sua missão é destruir a ameaça cibernética, evitando assim que a extinção da raça humana.


Ficha Técnica

Aprendizado

O SpaceShooter, acabou sendo pra mim um grande laboratório, foram creio que quase 2 anos de desenvolvido, mas isso não quer dizer que o SpaceShooter é um jogo complexo ou que foi difícil de ser criado, muito pelo contrario, graças a sua simplicidade consegui superar tantas mudanças, sendo elas:
IDE, o inicio do SpaceShooter, se confundi que o inicio do framework GBF, os dois praticamente foram criados juntos, e se auto influenciaram, passei por muitas IDE, desde proprietárias a diversas soluções livres, só para ter uma idéia nesse projeto trabalhei com:
E minha opção em busca da unificação dos mundos foi o CodeBlocks, onde de fato consegui criar um projeto e utiliza-lo tanto no Linux quanto no MS-Windows, pois as outras IDEs, mesmo as que tinham versões para os dois S.O me obrigavam a criar projetos para cada S.O.
Sistema Operacional, o inicio do meu projeto se deu com MS Windows, e o Linux era utilizado apenas para compilação, e conforme fui me envolvendo com o Software Livre, pude conhecer mais a fundo o Linux e as ferramentas que eu poderia utilizar, graças a utilização de uma IDE completa para os dois mundos, pude inverter minha situação e ter como meu ambiente de trabalho e de uso domestico o Linux e ter o MS Windows apenas para compilação e testes, creio que graças as características do projeto consegui fazer essa migração de SO sem muitos problemas, porém tive que me adaptar as diversas rotinas que o Linux começava a me apresentar, pois eu queria de fato retirar o máximo possível das características do meu hardware e isso envolveu tempo e estudo, porém hoje estou satisfeito utilizando Linux em casa (Slackware 11.0 e comecei a testar o Ubuntu).

Uma coisa que pude constatar, ambiente mais robusto que o Linux e suas ferramentas não creio que tenha, era comum quando tentava depurar alguma coisa no MS Windows ter problemas ou a aplicação abortar, debugar jogos é complicado, e mesmo usando profilers ou qualquer outra ferramenta que tente ajudar a entender como o programa funciona no MS Windows a coisa ficava sempre muito complicada. Sem falar que se consegui compilar e rodar no Linux sem problema a chance de compilar e funcionar no MS Windows é alta, agora o contrario é complicado.

UML, comecei o projeto do GBF com o Power Designer, uma ferramenta proprietária de modelagem UML e de banco de dados, porém era complicado manter o código sincronizado, pois era necessário codificar dentro da ferramenta o corpo dos métodos, e não era fácil e pior que o suporte a estruturas do C++ não era muito bom (enumerações, structs, typedef), fiquei algum tempo utilizando ela, até que ficou inviável manter o projeto codificando e testando e copiando as implementações para a ferramenta, a engenharia reversa não funciona (ou se funcionava era uma porcaria, faz tanto tempo que não lembro), acabou tendo um lacuna muito grande entre os últimos modelos e o código implementado.
Achei que era hora de procurar outras ferramentas, achei uma chamada jumli[12], era uma ferramenta freeware e tinha versões para Linux e Ms Windows, era melhor que o Power Designer, porém possuía alguma limitação que não me recordo muito bem, sei que não me atendia como eu gostaria, creio que tinha algo relacionado com enumerações ou struct, e mais uma vez cai numa lacuna de tempo entre modelo e implementação monstruosa.

Por fim, consegui achar uma ferramenta francesa chamada BoUML, a qual gostei muito, era leve, prática e muito eficiente, atendia quase que perfeitamente minhas necessidades, sem falar que o desenvolver era muito acessível, troquei algumas mensagens no fórum com ele, e minhas dificuldades foram resolvidas, e chegou até ser implementado uma das minha solicitações que era referente aos includes de outras classes ficarem apenas no header(.h) e não no arquivo fonte (cpp), para isso foi criado uma marcação especial que definia isso, ou seja, é uma ferramenta que recomendo, sem falar que com ela é possível mesclar várias coisas comuns em C++ para produzirem a saída conforme eu queria, no caso jogar vários enums, structs num único arquivo, bastava apenas na parte de deploy informar o “artefato de destino”.

Hoje o modelo do SpaceShooter e do GBF estão mais próximos da implementação porém não posso garantir a fidelidade do modelo do SpaceShooter, porém pretendo nas próximas semanas atualizar e finalizar de vez o projeto.

Técnicas, além de tudo isso tive oportunidades de criar novos mecanismos pro framework GBF, além de desenvolver e aprender novas técnicas, das quais posso destacar:

  • Classes para gerenciadores de recursos: Audio, Imagens, Teclado, Joystick;
  • Classes para interface: Menus, Teclado Virtual (aqueles usados nos jogos de consoles)
  • Classes para efeitos especiais como sistema de partículas;
  • Classes para Sprite, Layers, Personagens;
  • Utilização de Sockets via SDL_net para envio e recebimento de dados com um servidor (na verdade uma página em php que tem acesso a um banco MySQL)
  • Utilização de designer patterns para criação do GBF e do SpaceShooter;
Após dois anos de intenso trabalho, ou quase, pois tive muitos períodos que não encostava em nenhuma linha de código desses projetos, consegui concluir este ano o SpaceShooter e entrega-lo para a comunidade, liberando seu source e agora, passando um pouco da experiência vivenciada com o seu desenvolvimento. Espero que esse relato possa ajudar ou direcionar os interessados em conhecer um pouco mais sobre desenvolvimento de jogos.

T+!
Vida Longa e Próspera!

———————————————-

Referência
[1] PJMOO no Código Livre – http://codigolivre.org.br/projects/pjmoo/
[2] Site SpaceShooter – http://pjmoo.codigolivre.org.br/site/spaceshooter/
[3] Wiki SpaceShooter – http://pjmoo.codigolivre.org.br/wiki/index.php/SpaceShooter
[4] CDLivre – http://cdlivre.codigolivre.org.br
[5] Framework GBF – http://pjmoo.codigolivre.org.br/wiki/index.php/GBF
[6] SDL – http://www.libsdl.org
[7] CodeBlocks – http://www.codeblocks.org
[8] BoUML – http://bouml.free.fr
[9] DevCPP – http://www.bloodshed.net/devcpp.html
[10] Eclipse CDT – http://www.eclipse.org/cdt
[11] KDevelop – http://www.kdevelop.org
[12] Jumli – http://www.jumli.de

maio 102007
 

Blz!

Faz um tempo que prometi comentar sobre o assunto, porém, o tempo não é fácil, mas indo ao assunto de fato:

Ao ministrar a palestra “SpaceShooter : Anatomia de um jogo”[1], descobri que ao executa-lo em uma máquina com ms-windows, acontecia os seguintes problemas:

*Música OGG não tocava;
*Abortava o jogo após a mudança de fase;

E infelizmente só pude perceber tais problemas durante minha apresentação, a qual sinto que ficou um pouco prejudicada pois a palestra falava justamente do “space”, e não pude mostrar em sua totalidade o jogo, os efeitos desenvolvidos.
E o pior de tudo é que eu sabia que funcionava, pois já tinha testado e retestado ele em Linux e Ms-Windows em diversas máquinas, o pior que ouvi uma vez um comentário sobre isso, mas achei que era a falta de alguma atualização (do DirectX, por exemplo).
Terminando a palestra cheguei em casa, e fui a caça ao bug, teste, recompilei e tudo perfeito, até que me veio a idéia a mente, “E se eu retirar as dll de runtime do SDL”, dito e feito.
Descobri que o instalador embutido do SpaceShooter, o qual levava as dll’s do SDL[2], não estava incluindo as dll dependentes, e isso causava os sintomas citados.
Então pra resolver de vez esse problema, resolvi assim criar um instalador para facilitar a vida dos desenvolvedores e dos usuários para poder instalar os runtimes do SDL e dependências de forma fácil e pratica, visto que no site da SDL, eles oferecem apenas o download individual em formato “zip”, e o então criado “SDL Full Pack”[3], prové as bibliotecas necessárias para o funcionamento de qualquer jogo que utilize as seguintes bibliotecas:
  • SDL
  • SDL_image
  • SDL_mixer
  • SDL_net

Sendo assim, então você amigo desenvolvedor, não perca mais tempo tendo que criar um instalador pras suas dll do SDL, tenha a disposição o SDL Full Pack

[1]SpaceShooter – http://pjmoo.codigolivre.org.br/site/spaceshooter/
[2]SDL – http://www.libsdl.org
[3]SDL Full Pack – http://pjmoo.codigolivre.org.br/wiki/index.php/SDL_Full_Pack

abr 172007
 

Relato Semanal 003

Blz, esse é o relato semana de 09 de Abril a 16 de Abril, foi uma semana movimento baixo, pouca produção de fato, porém muito movimentada em termos de contato, passando por alguns momentos de dúvidas e outros de satisfação, então sem enrolar mais vamos aos destaques:

CDLivre

Logo após publicar a informação sobre o CDLivre[1], recebi alguns críticas pouco agradáveis e nem de longe construtivas, pela falta da ISO na Internet para download, problema esse que ainda continua, porém começo a receber ajuda para resolve-lo, foi um fato um pouco chocante, você trabalhar dar duro para finalizar o projeto a tempo e algumas pessoas acharem que o trabalho é para se tirar proveito/lucro é complicado.

Onde algumas achavam que eu estava vendendo o CDLivre por R$6,50… Pergunto onde é que se vende as coisas com prejuízo? Quem faz isso vender pra ter prejuízo? Por isso que eu digo “NÃO ESTOU VENDENDO o CDLivre, estou apenas solicitando uma ajuda de custo para entregar duas(02) mídias gravadas, em sua porta de casa”.

O Fato mais curioso que achei, é que enquanto tinha gente se matando pra não pagar essa ajuda de custo, querendo que eu enviasse o CD de graça, tirando tudo do meu bolso, algumas pessoas depositaram valores a mais que o necessário, tentando assim me auxiliar de alguma forma. A essas pessoas eu agradeço mais uma vez e publicamente, e digo abertamente o que falei pra algumas: “Minha satisfação é saber que horas de trabalho investidas por mim e por amigos resultaram em algo útil e agradável para as pessoas, quer seja no dia a dia ou nos momentos de diversão com os jogos.”

Ao todo foram enviados 10 cópias completas do CDLivre para quatro regiões brasileiras (Infelizmente não houve procura por parte de pessoas da região norte :\, será que os quatro anos que morei em Manaus foram ruins assim? brincadeira, em Manaus eu ainda não sabia direito que bicho era o tal de computador, quanto mais o SL), desses cd’s enviados alguns foram para uso privativo e outros serão utilizados para replicação ou seja, vocês podem procurar pessoas próximas as suas regiões para poderem adquirir o CDLivre, sem falar que teremos o CDLivre disponível para cópia em alguns “FLISOL”. E caso você já tenha sua cópia do CDLivre e queira distribuir na sua cidade, faculdade, empresa ou entre amigos me informe para poder adiciona-lo no site[2], permitindo assim que as pessoas te procurem para copiar o CDLivre.

E com relação aos envios creio que a última remessa, o malote quatro, que sai antes do FLISOL deve ser enviado entre os dias 19 e 20 de Abril, pois como o correio informa pode-se levar até 5 dias para fazer a entrega. Então após essa data devo me concentrar para postar cd’s apenas uma ou duas vezes por mês, simplificando assim minha ida ao shopping, economizando gasolina e estacionamento, pois apesar de ter saído a medida/lei que não devemos pagar estacionamento, isso ainda não é realidade no Iguatemi, a informações dos caixas é que o shopping entrou com liminar…

Palestra

Essa semana fui convidado para palestrar sobre “jogos” em um evento a ser realizado na “Semana de Atualização Tecnológica da FIC”, mesma Faculdade que ocorrerá o FLISOL.
Pelo que me passaram gostariam de uma palestra um pouco mais técnica, pois o público alvo seria o pessoal de uma célula acadêmica voltada para programação de jogos. A sugestão que me foi apresentada foi apresentar algo em cima de um trabalho já desenvolvido no caso o jogo “SpaceShooter”[3], basicamente pelo que entendi seria mostrar como foi o desenvolvimento dele, a motivação e tudo mais possível dentro de 50 min, é um tempo curto porém vou começar a prepara-la e espero ter tempo para pedir a uma ou duas pessoas da platéia (hehehhe, se forem mais que uma pessoa claro), para joga-lo 🙂

Só para constar as informações sobre a palestra são:

  • Título: SpaceShooter, Anatomia de um Jogo.
  • Descrição: Mostrar ao publico o lado técnico da construção de um jogo,para isso será abordado as motivações do desenvolvedor, técnicas utilizadas, lições aprendidas e as mais diversas experiências na criação de um jogo.
  • Dia: 26 de Abril de 2007
  • Horário: 21:00hs
  • Local: FIC – Aldeota (Fortaleza/Ceará)
  • Duração: 50 min

Falou, vida longa e próspera!

Obs.: Sacanagem não houve sábado no Universal Channel, as séries de StarTrek :\, apesar da maratona de Heroes ser legal, não podiam fazer isso com Startrek…

[1]http://davidferreira-fz.blogspot.com/2007/04/cdlivre-de-forma-rpida-e-sucinta.html
[2]http://cdlivre.codigolivre.org.br/?q=cidades
[3]http://pjmoo.codigolivre.org.br/wiki/index.php/SpaceShooter

abr 102007
 

Blz!

Amigos é com imenso prazer que agradeço a todos aqueles que mesmo sem me conhecer pessoalmente, tiveram manifestações construtivas a respeito do projeto CDLivre, porém, escrevo esta carta pois na verdade apesar de tanta alegria e satisfação, também tenho muita tristeza por comentários, emails e muitas outras coisas que vi na Internet nesses últimos dias, gostaria assim de vez por todas esclarecer diversos pontos e aqueles que me vêem com olhos negativos com impressões duvidosas que reflitam um pouco e pensem…

CDLivre, o projeto começou meio que por acidente em 2006, com a sugestão de um amigo do PSL-CE, com isso corri durante algumas semanas para catar aplicativos para ms-windows que fossem livres e que pudessem completar o dia-a-dia do usuário de computador, como foi tudo feito nas pressas, lancei um post na lista do PSL-CE, e metemos a mão no wiki do FLISOL (PSL-CE)[1], consegui com ajuda de várias pessoas, fechar uma listagem de programas e fazer uma rápida descrição de cada um, categorizando-os em algumas áreas. Com isso comecei a fazer o download de quase 700 mb para ir colocando no CD, e tendo o trabalho de baixar, instalar e testar software por software e verificar se o mesmo era de fato software livre, ou seja, como tudo foi feito nas ‘coxas’, o cd era na verdade apenas um ‘disco’, com diretórios e um arquivo PDF contendo as descrições. Dessa forma foi lançado o CDLivre 1.0, o qual tive sérias dúvidas se realmente deveria levar para um evento de software livre, principalmente pq na minha visão não seria bem visto pelas comunidades locais de Linux.

No dia do FLISOL, peguei apenas 10 cópias do CDLivre e levei para o evento, achando até que era uma quantidade grande, pois tinha o receio das comunidades não se agradarem por ter a distribuição de software que fosse para outra plataforma, mas muito me surpreendi quando vi que a procura foi tanta que as pessoas estavam procurando o CDLivre, e rapidamente a 10 cópias que levei esgotaram, foram em torno de umas 40 a 50 cópias contabilizadas (tivemos problema com a contabilidade), e as comunidades cediam suas máquinas para gravação de mídias, isso de fato acabou fazendo com que eu tivesse uma idéia diferente da coisa toda, me levando então a melhorar o CDLivre.

Após o evento, comecei então a maratona de torna-lo acessível a qualquer pessoa, não só as pessoas aqui do Ceará, que participaram do evento, mas para qualquer um, e comecei com o registro do projeto no CódigoLivre[2], porém já havia um projeto lá com esse nome, ele tinha sido registrado há mais de um ano por outra pessoa, a qual por questões pessoais não deu continuidade ao seu projeto, e cedeu o repositório para mim, fiquei muito satisfeito tanto é que publiquei uma notícia sobre isso[3].

Comecei então tentando colocar o CDLivre na Internet para que as pessoas de outras cidades pudessem obtê-lo, foi assim que muito sofridamente no meu trabalho na época consegui fazer o upload de 67 arquivos, pois enviar a iso de forma única era complicado, pois sempre dava falha no finalzinho do upload, o que me forçava a deletar o arquivo e recomeçar (não havia suporte a resume), desisti dessa alternativa, pois meu velox 256 não era rápido o suficiente para tentar tal proeza em casa sem haver timeout. Acabei desistindo do método de fatiar o iso, pois houve muitas reclamações das pessoas tentando baixar 67 arquivo dizendo que não era pratico.

Em outubro haveria o 3FCSL (3° Fórum Cearense de Software Livre), e comecei a preparar o CDLivre 1.1 pois estava envolvido com outros projetos, inclusive havia me aproximado mais da comunidade do PSL-CE, e com base no autorun utilizado pelo ubuntu, comecei a montar o do CDLivre, o qual acabou ficando versionado para a versão 1.1.0.

Agora de forma antecipada tentei colocar o CDLivre na internet, usando o emule e o bittorrent[4], tentei deixar minha máquina por alguns dias servindo os arquivos, porém a procura foi baixa, pelo que vi, menos de 5 downloads foram feitos pelo bittorrent e provavelmente quem baixou não sabia o que era, pois segundo os clients os usuários eram todos de fora do país, fiquei nessa tentativa durante umas 6 a 8 semanas, e como eu só tem uma máquina e todos aqui em casa usavam não era pratico para eles usarem com o ‘peso’ extra desnecessário, e acabei desistindo dessa alternativa.

E o pior de tudo, apesar de ter atualizado o CDLivre 1.1.0, acabei nem levando ele para distribuir no installfest do 3FCSL, primeiro fiquei desmotivado com alguns problemas interno das comunidades em relação ao evento. Depois veio o fator tempo, entre tentando ajudar a organizar o evento e palestrar, acabou de vez me consumindo.

Em 2007, não querendo repetir meus erros do passado, me concentrei no mês passado (fev/março) a de fato fazer realmente o CDLivre 2.0, e tentar garantir que ele estivesse disponível para as pessoas poderem copia-lo no FLISOL, servindo até de propaganda para fazer as pessoas a comparecer ao FLISOL de suas regiões, então novamente lancei mensagens para a comunidade, e comecei a montar a seleção de aplicativos, comecei a baixa-los e a completar as descrições que as pessoas me mandavam, porém para fazer isso tive que usar minha horas de folga, ou seja, como todo e bom voluntário tive que abdicar dos meus horários de sono e lazer para fazer algo que julgava ser mais importante e que fosse talvez num sonho ou ideal utopista ajudar as pessoas, não sei se por ser fã de StarTrek, ou por ter de fato me identificado com a filosofia do Software Livre, penso as vezes grande demais, e coloco os outros acima de mim mesmo, tentando fazer uma pequena parte, para que um dia, um mundo feito de pequenas partes seja realmente muito grande e melhor para todos os seres. (as vezes eu viajo legal…)

O fato que aconteceu, como o tempo está correndo e como sei que não daria para transformar minha máquina em servidora (http, torrent, emule/lmule) e etc, acabei optando pela solução inicial mais fácil e pratica, pois em 5 dias qualquer pessoa do Brasil poderia ter 2 CDs (quase 1400mb) em casa, sendo assim, fui na quinta feira (05/04/2007) ao shopping iguatemi (fortaleza) enviar uma cópia do CD sem custo para o pessoal do FLISOL de Santos, já que foram o primeiro a entrar em contato comigo e avaliar quanto sairia para mandar os cds para qualquer pessoa no Brasil, comecei então minha jornada.

  1. Chegando ao Shopping, fui aos correios, em frente tem uma loja de miudezas e lá tem envelopes, pedi um que coubesse os 2 cds, saiu por R$0,50, pode ser que alguém ache caro, porém, eu com meu tempo apertado, não tenho como ir em outros locais para pesquisar preço.
  2. Coloquei os cds que havia gravado na noite anterior, pois fui do trabalho pro shopping, cerca de uns 10 km) e lá enfrentei uma fila de umas 15 pessoas, de forma paciente e com toda a calma, pois sabia que o que estava passando na fila tinha motivo, e que era algo que seria esquecido quando visse(soubesse) que no FLISOL as pessoas estavam satisfeitas com o CDLivre. Chegou a minha vez quase 45 minutos depois (não sei pq eu levo menos de 3 min, e tem gente que fica quase 10 min num caixa), e fui me informar, fiquei sabendo que os cds dentro do envelope pesavam aproximadamente 66 gramas, e que para enviar até 100 gramas o custo era de R$3,99. Pois bem feito isso postei o envelope como carta registrada.
  3. Fui ao Extra, que sempre costuma ter cds de uma qualidade aceitável e preços acessíveis, lá encontrei dois que variam as vezes de R$ 0,89 a R$0,99 que são o Faber-Castell e o EMTEC, passei para as pessoas o valor de R$1,00 pois sempre compro esses CD’s e vejo que tem uma durabilidade boa, não queria enviar para as pessoas cd’s que possam nem funcionar após a gravação.
Sendo assim, estimei os custos para o envio do CDLivre no valor de R$5,50(Quando for apenas 1 CD) e R$ 6,50(Para os 2 CD’s) ou seja, é um valor que cobria as despesas com mídia e postagem, não tem como eu tirar lucro disso, e possivelmente vocês devem saber que qualquer CD que o pessoal vende não sai por menos de R$10,00. O ponto é, eu quero que as pessoas tenha acesso ao CDLivre porém não é justo pra mim arcar com tudo sozinho, será que minhas horas de sono e lazer seriam tão baratos ao ponto de que se eu fosse “VENDER” o CDLivre cobrasse a quantia de apenas R$ 06,50?, fico triste é com isso, de pessoas acusando eu estar vendendo o CDLivre para obter lucro, como se eu fosse viver de vender um lance desses, e pra essas pessoas eu aviso que não preciso vender cd pra viver e nem muito menos uso o Software Livre para me promover, sou funcionário de uma empresa pública, ou seja, sou concursado(Analista de Sistemas), não estou no mercado querendo aparecer pra empresas, e nem querendo aparecer pra minha empresa pois ela não apóia o uso de software livre, pelo menos até onde sei.

E o CDLivre não está na Internet pq não tenho como coloca-lo e nem acho justo eu ficar pagando para enviar o CDLivre pra todo mundo que queira, e em nenhum momento eu disse que o CDLivre não possa ser replicado ou colocado na Internet, se alguém o fizer eu agradeço e até coloco o link no site. Teve até uma pessoa que queria que eu enviasse 4 pares de cds para ele, e falei que não valeria a pena, que seria melhor pegar só os dois e replica-los.

Agora pergunto a você que teve a paciência de ler esse meu relato e desabafo, você acharia justo trabalhar feito um condenado pra montar algo para outras pessoas usarem, colocar seu sangue, noite de sono e seu lazer e ainda ter que pagar pra poder entregar na porta das casas de cada um? Software livre é ser escravo de ideais? ou é garantir a liberdade de escolha das pessoas? Não é atoa que por causa de pessoas com visões pouco claras existe muitas piadas do tipo: “Tu é besta, faz as coisas de graças pros outros”, “Software Livre é coisa de estudante, ninguém leva isso a sério”, “Software Livre é coisa pra quem quer aparecer”, “O bom do Software Livre é ver as brigas, só tem criança querendo virar profissional”

Tem horas que começo a pensar se realmente estou investindo meu tempo, esforço e força vital em coisas que realmente valem a pena….

Vida Longa e Prospera…..

[1]http://www.psl-ce.softwarelivre.org/flisol/
[2]http://www.codigolivre.org.br
[3]http://listas.softwarelivre.org/pipermail/psl-ce/2006-March/002988.html
[4]http://www.fulldls.com/downloading_app_23496
[4]http://codigolivre.org.br/frs/download.php/5032/CDLivre_v1.1.0.iso.torrent

Veja Links relacionados ao CDLivre:
http://davidferreira-fz.blogspot.com/search/label/CDLivre
http://www.psl-ce.softwarelivre.org/flisol/index.php/CDLivre
http://cdlivre.codigolivre.org.br

abr 092007
 

Relato Semanal 002

Blz! Esse é o relato da semana de 02 de Abril a 08 de Abril, após algumas postagens de diversos tipos (sobre projetos com tom mais pessoal, com postagem de emails que enviei para divulgação e etc) começo a entender um pouco melhor a finalidade e a necessidade de ter criado este blog, começo a pensar na idéia de publicar sempre que possível uma visão um pouco menos técnica( porém não totalmente relacionada a minha vida pessoal, gosto de privacidade), do dia a dia, ou melhor com passagens que merecem destaques do dia a dia de um profissional de T.I, sobre as coisas que aprendemos no dia a dia, as ditas e não ditas, as escolhas profissionais, os hobbys hi-tech, como o movimento de software livre, projetos de softwares (jogos, frameworks, ferramentas) e muitas outras coisas que podem ser interessantes para pessoas que queiram conhecer um pouco mais da vida real (profissional) de um desenvolvedor de softwares e as diversas áreas de conhecimentos empregadas na busca das melhores soluções.

Bem esse é apenas um pensamento que está começando a ganhar forma, porém não vou coloca-lo em prática no momento, mas quem sabe em breve, primeiro preciso definir até que ponto devo falar sobre mim 🙂

Começando então, agora de fato o relato da semana.

CDLivre

  1. De fato conseguimos concluir de acordo com o cronograma, tanto é que a primeira cópia foi enviada para os amigos do FLISOL de Santos, foi postado na quinta feira, porém devido o horário os correios só remeteriam no sábado (07/04/2007), e deve então chegar para o “Paulo” até sexta feira.
  2. Comecei a fazer, a propaganda, digo, a divulgação do CDLivre em algumas listas e sites, o que gerou uma procura até boa, até o momento tem aproximadamente umas 14 pessoas de diferentes cantos do Brasil (Falta a região Norte :\ ), interessadas na obtenção do CD, alguns para replicação em eventos no caso o FLISOL(o qual será realizado agora dia 28/04/2007) e outros para uso pessoal e divulgação indireta devido a utilização de softwares livres em outros trabalhos como: técnicos de hardware, professores e afins. Acredito até que essas pessoas é que são talvez o grande canal para divulgação do Software Livre e sua filosofia, pois elas que acabam estando frente a frente, dia a dia com as pessoas que querem apenas apertar um botão e ter tudo pronto 🙂

FLISOL

  1. Estamos chegando na reta final, e aqui no FLISOL de Fortaleza, tínhamos como data limite para chamada de trabalhos o dia 08/04, e espero contribuir novamente de forma ativa no evento, ministrando algumas palestras, pensei até em criar uma nova, um pouco mais técnica voltada para o desenvolvimento de jogos, porém acabei ficando sem tempo, e com a importância que o CDLivre acabou ganhando, tive que me contentar em submeter duas palestras, as quais são:
    1. Sistema de Controle de Versão, nela apresento um pouco da história dos controles de versão, as motivações, porque usar, e os benefícios, e apresento os motivos da escolha, no caso essa palestra desenvolvi pra um antigo emprego (nossa, não é tão antigo assim, foi na SEAD/2006, é começo a sentir falta de lá, mas é outra estória[Ainda existe história e estória? ouvi uma vez dizer que não tinha mais, que era tudo história, e estou sem coragem de pesquisar]), no caso escolhemos o CVS para o desenvolvimento de todos os sistemas.
    2. Desenvolvimento de Jogos Livres, nessa palestra apresento o universo do desenvolvimento de jogos, mostrando a importância das multidisciplinas, como elas estão relacionadas, mostro alguns trabalhos nacionais tanto de jogos como arte gráfica, e mostro o caminho das pedras para os “programadores”, quais ferramentas utilizar, como achar apoio, dicas, artigos, amigos. Apesar de ser uma palestra já tradicional nos eventos de Software Livre, aqui de Fortaleza sempre coloco coisas novas e procuro atualizar e conceitualizar cada vez mais, de fato essa palestra começou como técnica e hoje está num nível de abstração mais alto, espero eu, que esteja claro o suficiente para qualquer pessoa com qualquer nível de conhecimento.

Diversos

  • E pra finalizar, desejo (um pouco atrasado, eu sei) feliz páscoa para todos, em especial pra minha linda, que pelo jeito me quer ver cada vez mais gordo, a situação já não ta legal, já engordei uns 5 quilos, e agora depois do presente que ela me deu (só ver as imagens do vidrinho de chocolate), sei não, ainda bem que voltei a correr hoje 🙂
Vida Longa e Prospera!
abr 072007
 

De forma rápida e sucinta, seguindo os processos de definição de produtos de softwares, apresentamos a baixo o que é de fato o nosso projeto, o CDLivre.

Para Usuários do Microsoft Windows(r)
Que necessitam usar programas de computador(softwares) de forma legalizada
O CDLivre é uma coletânea de softwares livres
Isto é que permitem qualquer pessoa utilizá-los de forma gratuita e distribui-los dentro da lei
Ao contrário dos softwares proprietários, que o usuário necessita pagar licenças, que geralmente custam muito mais que o valor do próprio computador
nosso produto vem provar que softwares livres podem e devem ser opção de escolha para o usuário no dia a dia.

Histórico

O CDLivre surgiu da proximidade do evento FLISOL 2006, onde foi sugerida a adoção do TheOpenCD, para permitir um primeiro contato dos usuários de plataforma proprietária ao universo livre.Porém com o levantamento do conteúdo do TheOpenCD, surgiu a necessidade de um melhor aproveitamento do espaço do cd, assim como uma melhor adaptação ao perfil do usuário brasileiro.

Com base nestas idéias iniciais o cd foi moldado para atender o maior número de perfis possíveis indo desde o usuário doméstico até o de desenvolvedores de softwares.

Sendo assim, agrupamos os softwares selecionados nas categorias de Desenvolvimento, Design, Internet, Jogos, Multimídia, Produtividade e Utilitários.

Site

  • Site Oficial Neste site é possível encontra os releases finais das informações, como documentos, listagem de programas, galeria de fotos, e etc.
  • Repositório do Projeto Neste repositório podemos encontra a infra estrutura básica para o projeto, como CVS, Home Page e etc…. Este repositório é mantido pelo Código Livre.
  • Wiki do Projeto Wiki, encontraremos informações da montagem, confecção e refinamento do CDLivre, o qual após a finalização é lançando como release no site do projeto.

Como Obter

Atualmente o CDLivre pode ser obtido apenas por pedido, o qual será enviado pelo correio na modalidade de carta registrada, que segundo os correios leva aproximadamente 5 dias úteis.

O custo para obter o CDLivre varia de acordo com as seguintes opções:

  • CDLivre 2.0 = R$ 5,50
  • CDLivre 2.0 e CDLivre 2.0 – Extra Games = R$ 6,50

Obs.: Os valores acima já incluem: Valor da mídia(s) + envelope pardo + postagem pelos correios.

O qual pode ser pago por deposito no Banco do Brasil(BB) e Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

Como o CDLivre nasceu no FLISOL, e tem como objetivo lançar a sua segunda versão no evento, inicialmente estamos dando preferência para envia-lo as pessoas que vão replica-lo durante o evento, o qual acontecerá em diversas cidade do Brasil, se você organiza, participa ou irá representar sua comunidade no evento, ajude a divulgar o nosso projeto.

Caso tenha interesse em adquiri-lo entre em contato pelo email: davidferreira.fz@gmail.com

Obrigado.

David de Almeida Ferreira
Mantenedor do CDLivre
davidferreira.fz@gmail.com
http://davidferreira-fz.blogspot.com

abr 012007
 

Esta é a minha segunda postagem(ou melhor seria se eu não tivesse dividido-a em outras três, porém para você leitor que não conhece ainda os meus projetos, visite os links), e estou começando a pensar na idéia de postar regularmente pelo menos uma vez por semana, com o propósito de fazer um balanço geral dos projetos que participo, além de poder contar uma ou outra curiosidade :), sendo assim vamos lá.

Esta semana trabalhei nos seguintes projetos:

Caso você não conheça os projetos seriam bom visitar os links acima, para poder se contextualizar melhor.

CDLivre
Bem, indo aos fatos, essa semana o cronograma seria que até o dia 30/03/2007, o CDLivre deveria estar finalizado ou seja, ele deveria ter passado pelos seguintes passos:

  1. Seleção dos Programas, com a ajuda da comunidade, conseguimos fechar no dia 25/03/2007 a grade dos programas;
  2. Design Gráfico, seria a alteração das imagens, ou seja, criação das diversas capas com o logo do FLISOL em diversos tamanhos;
  3. Documentação, foi finalizado em conjunto com a seleção dos programas, essa atividade seria, comentar sobre cada software e categoriza-lo, além de gerar a documentação em PDF;
  4. Autorun, com a documentação e o design finalizado, chegou a vez de alterar o autorun da versão anterior, colocando as imagens novas e os textos dos programas;
  5. Mídia, com o autorun testado e aprovado, começou o teste de gravar tudo em um CD Regravavél para testar e extrair a iso
  6. Iso, após algumas repetições (algo entre 3 a 5 vezes) de gravar mídia(20 minutos), gerar iso(5 minutos), gravar iso na mídia(20 minutos), foi extraída a matriz que dará origem as cópias do CDLivre.

Com tudo pronto, está semana devo enviar pelo correio para meu irmão, uma cópia do CDLivre e CDLivre – Extra Games, para obter de fato o valor do custo de envio, para servir de base para as pessoas em outras cidades que desejam divulgar e distribuir o CDLivre no FLISOL.

F2IBuilder
Esta semana, consegui uns intervalos na edição do CDLivre, já que uma gravação levava, algo de 20 minutos, acabei aproveitando o tempo, e migrando o repositório do F2IBuilder do códigolivre (visto que o código livre anda nos últimos meses passando por muito instabilidade, as quais leva ele a ficar dias ou semanas fora do ar, sem nenhum aviso), para o code do google.

Como o F2IBuilder atende pessoas de diversos grupos de desenvolvimento, e tem um bom potencial para exploração e utilização, acabei promovendo ele ao status de projeto, pois antes era um subprojeto do PJMOO, onde ele ficava muito “escondido”, já que não era foco.

Com essa migração, ainda em testes, comecei a modificar os pacotes para refletir o novo domínio (ele é escrito em Java e utiliza a convenção de nomeação de pacotes baseados na url de domínio) no code.google.com (repositório do google para projetos de software), e lá iniciei de forma pequena uma wiki, que por sinal os recursos são bem limitados, quando se relaciona com layout. Basicamente o wiki de lá foi criado para permitir páginas bem “primivitas”, pois você não pode utilizar código html, nem muito menos organizar o conteúdo com tabelas. Apesar disso, o fato do projeto ter seu próprio espaço é importante principalmente já que pretendo expandi-lo com a ajuda de outras pessoas, e agora ele conta com recursos próprios como: wiki, subversion, espaço para armazenar downloads, ferramenta para requisições.

Bem, creio que este foi o trabalho da semana envolvendo estes dois projetos os quais coordeno e mantenho, espero em breve conseguir mais pessoas para ajudar a mante-los, principalmente com relação ao F2IBuilder, o qual atuo sozinho.

Até qualquer outra hora, um fato legal, é que durante a montagem do CDLivre achei diversos softwares e jogos interessantes, coletei algumas informações sobre links e sites especializados, qualquer dia desses, quanto tiver mais calmo, posto os links.

Vida Longa e Prospera!

abr 012007
 

É um software livre e multiplataforma, ou seja, executa tanto em MS-Windows(r), GNU/Linux e qualquer outro sistema que possua uma máquina virtual java (JRE).

O objetivo dele é permitir que desenvolvedores de jogos, possam usa-lo para criar suas fontes (letras) em imagens, as quais são utilizadas para exibir/escrever na tela, durante o jogo.
Apesar de parecer estranho a primeira vista, essa técnica é conhecida como FontBitmap, mas não quer dizer que sejam utilizadas apenas imagens bitmap (.bmp), na verdade o que se faz é ter em uma imagem todas as letras, números e caracteres especiais utilizados para exibir informações ao jogador, ou seja, o programador mape-a as letras que seram exibidas por um pedaço da imagem, e com isso de pedaço em pedaço consegue-se escrever na tela.

Originalmente no mundo ms-windows existem programas famosos para gerar essas imagens, porém quando comecei a utilizar mais o Linux, percebi que não havia um programa que pudesse gerar para mim tais imagens, o que resultou em n-vezes ter que recorrer a um máquina com MS-Windows para gerar as imagens, isso perdurou até que um dia, tive a idéia de criar um programa que fizesse isso para mim, e assim acabou surgindo o F2IBuilder, que quer dizer “Fonte para Image”.

Mais informações podem ser vistas no seguintes sites:

abr 012007
 

É um projeto bastante simples, que pode de explicado pelo quadro abaixo:

Para Usuários do Microsoft Windows(r)
Que necessitam usar programas de computador(softwares) de forma legalizada
O CDLivre é uma coletânea de softwares livres
Isto é que permitem qualquer pessoa utilizá-los de forma gratuita e distribui-los dentro da lei
Ao contrário dos softwares proprietários, que o usuário necessita pagar licenças, que geralmente custam muito mais que o valor do próprio computador
nosso projeto vem provar que softwares livres podem e devem ser opção de escolha para o usuário no dia a dia.

Ou podemos resumir a uma coletânea de softwares livres em CD.

O que mais vale ressaltar é que o CDLivre desta vez será composto por dois CDs um sendo o “CDLivre” e o outro o “CDLivre – Extra Games”.

Informações mais detalhadas sobre o CDLivre e a relação de softwares podem ser vistas nos links abaixo:

Site do CDLivre
Wiki do CDLivre
CDLivre 2.0 – Relação de Softwares
CDLivre 2.0 – Extra Games – Relação de Softwares