maio 132008
 


Blz?

Amigos pois num é que tive meus 15 segundos de fama 🙂 ou quase, hehehehehe.
Tem algumas semanas que fui indicado por um amigo como uma espécie de referência em desenvolvimento de jogos aqui no ceará(como é que pode, neh?), o que resulto em uma ligação de uma repórter de um dos maiores jornais locais “O Povo”[1].

Onde conversamos sobre diversos tópicos como:

  • Quem desenvolve jogos no brasil e no Ceará
  • Onde as pessoas buscam apoio para iniciar
  • Como são feitos os jogos
  • Que tipos de profissionais estão envolvidos
  • Questões do mercado nacional e local
  • Plataforma de jogos: PC, Console, Celular
Ou seja, foram diversos assuntos que na verdade renderam um pouco mais de 20 minutos de conversa via telefone, onde conversamos inclusive sobre o novo cenário a “TV Digital”, onde falei de algumas características que assim como a mídia televisiva deve adaptar-se para esse novo meio o mesmo deverá ocorrer com os jogos focando neste novo perfil de consumidores os quais talvez a grande maioria nunca pode ter um console em casa, e que agora com os set-top-box aparece uma grande oportunidade tanto para a difusão dos jogos como para o mercado nacional.

Inclusive aproveito a oportunidade, para divulgar que agora na InfoBrasil[2] estarei apresentando um artigo que envolve jogos e a TVDigital, entitulado de “TuGA – Um middleware para Desenvolvimento de Jogos na TV Digital Interativa”, se você estiver por lá e tiver sem nada para fazer, quem sabe não poderia assistir 🙂

Continuando na entrevista tem alguns pontos que discordo um pouco, talvez algum ruído na ligação tenha causado uma impressão diferente do que era na realidade, ou talvez eu esteja interpretando errado, mas gostaria de comentar a passagem:

“Com isso o trabalho ainda é amador, sem profissionais que se voltem para cada etapa da criação”.

Amador não é em questão de qualidade, por sinal existem diversos trabalhos muito bons com uma ótima qualidade, porém deveria ter ficado mais claro que o amador é no sentido de não ganhar a vida com eles, e sim simplesmente pelo prazer de produzi-los. Outro fato é que geralmente quem mais se interessa por desenvolvimento de jogos são programadores o que de fato deixa as outras diversas áreas a desejar ou quando se tem muita sorte encontram-se programadores com dons artísticos quer seja para música, escrita e gráficos (o que não é o meu caso).

Outro detalhe é que de quebra ainda conseguimos divulgar a nossa nova lista GDJ-CE[3] e ainda existem links no portal para baixar dois jogos que fiz o FZPong[4] e o SpaceShooter[5]

T+!
Vida Longa e Próspera!

———————————————-

Referência
[1]http://digital.opovo.com.br/reader2/Default.aspx?pID=13&eID=771&lP=24&rP=25&lT=page
[2]http://www.infobrasil.inf.br/ComoParticiparEventos.aspx
[3]http://groups.google.com/group/gdjce
[4]http://pjmoo.wiki.sourceforge.net/FZPong
[5]http://pjmoo.wiki.sourceforge.net/SpaceShooter

  3 Responses to “Games made in Ceara”

Comments (3)
  1. Parabéns cara, foi uma ótima materia.

  2. só não digo *inveja* porque a uns anos atrás eu fui entrevistado por um canal de cabo local sobre gamedev e mostraram umas cenas de jogo meumas parabéns!

  3. Parabéns cara 😀

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(requerido)

(requerido)